igrejaesporte
igrejaesporte
igrejaesporte

Aprovada na ONU a Trégua Olímpica nos Jogos Rio 2016.

oly_truce_int2A 70ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou na semana passada uma resolução para a observância da Trégua Olímpica para os Jogos da XXXI Olimpíada no Rio de Janeiro no próximo ano. A resolução foi apoiada por 180 dos 193 países membros da ONU.

Falando à Assembléia Geral, em Nova York, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, reiterou o importante papel que o esporte e os ideais Olímpicos podem desempenhar ao serviço da sociedade, promovendo a paz, justiça, tolerância e entendimento entre os povos.

“Os Jogos Olímpicos são o momento em que os valores da tolerância, da solidariedade e da paz são trazidos à vida. Este é o momento em que a comunidade internacional se reúne para a competição pacífica”, disse o presidente do COI. “Na Vila Olímpica, vemos a tolerância e a solidariedade na sua forma mais pura. Atletas de todos os 206 Comitês Olímpicos Nacionais convivem juntos em harmonia e sem qualquer tipo de discriminação. Este é o verdadeiro espírito da “Unidade na Diversidade Olímpica –  atletas de todos os cantos do mundo, vivendo juntos sob o mesmo teto”, acrescentou.

A resolução pede a trégua olímpica seja respeitada a partir de sete dias antes do início dos Jogos Olímpicos de até sete dias após os Jogos Paraolímpicos.

Durante o seu discurso à Assembléia Geral, o presidente do COI também apelou para a ajuda dos países membros para identificar os atletas de alto rendimento que se encontram em situação de refugiados.

“No momento, nenhum destes atletas teriam a oportunidade de participar nos Jogos Olímpicos, mesmo que qualificados do ponto de vista esportivo, porque, com o seu estatuto de refugiado, eles são deixados sem um país de origem e do Comitê Olímpico Nacional para representar”, contou-lhes. Anunciando que o Comitê Olímpico Internacional irá convidar os maiores atletas de refugiados qualificados para participar dos Jogos Olímpicos Rio 2016, o presidente Bach acrescentou, “não tendo nenhuma equipe nacional a pertencer, não tendo nenhuma bandeira para marchar a trás, não tendo nenhum hino nacional a ser ouvido, estes atletas refugiados serão bem-vindos aos Jogos Olímpicos com a bandeira olímpica e com o hino olímpico. Eles terão uma casa junto com todos os outros 11.000 atletas de 206 Comitês Olímpicos Nacionais na Vila Olímpica. Este será um símbolo de esperança para todos os refugiados em nosso mundo, e vai levar o mundo a conhecer melhor a magnitude desta crise. “

oly_truce_int1A resolução, intitulada “Construindo um mundo pacífico e melhor através do esporte e do ideal olímpico”, foi formalmente apresentado à Assembléia Geral em nome do Movimento Olímpico e no Brasil pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016, chefiada pelo seu Presidente, Carlos Nuzman.

Presidente Bach sublinhou que o Comitê Organizador está trabalhando para entregar uma Olimpíada inclusiva. “Os valores da tolerância, da solidariedade e da paz são uma parte central do legado do Rio de Janeiro para os brasileiros. Estes serão os Jogos inclusivos – e uma oportunidade única de mostrar o esporte como uma ferramenta chave para a paz, a inclusão social e a tolerância, e na luta contra a discriminação racial, étnica ou de sexo. Através dos Jogos Olímpicos, o povo brasileiro vai lembrar o mundo de sua combinação única de paixão e eficiência. “, disse o presidente Bach.

Os Jogos Olímpicos Rio de Janeiro acontecerá de 05-21 agosto de 2016 e ser seguido pelos Jogos paraolímpicos que acontecerão de 07-18 setembro de 2016.

Fonte: www.olympic.org